Pancha

Pancha Instalações Somáticas

A série de cinco (pancha) performances parte de uma longa pesquisa que entrelaça minha trajetória com yoga, dança e performance.

Esse trabalho foi desenvolvido ao longo da minha conclusão de curso de Licenciatura em Dança na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e toda concepção bebe em conceitos védicos para fundamentar suas escolhas.

Chamo de conceitos guarda-chuva a concepção de Atma, Rasa e Soma, cujos fundamentos partem dos Vedas, livro sagrado hindu. Atma refere um corpo que inclui mente e espírito trazendo um sentido de unidade e totalidade. Inserido nessa ideia, Pancha trata de todas camadas do corpo para vivenciar experiência, acessar movimentos internos e experimentar a corporificação dos elementais do Yoga (Prithvi=Terra, Jala=Água, Agni=Fogo, Vayu=Ar e Akasa=Éter).

Rasa compreende a apreciação da obra de arte a partir do sistema entérico envolvendo todos os sentidos na relação com o público, aproximando-o da ideia de participante e afastando o ideal aristotélico de espectador. Público participante é, então, outro fundamento primordial de Pancha.

Soma é relatado nas escrituras como “bebida sagrada”. Os gregos reinventaram esse termo sob a expressão “experiência vivida em 1a pessoa”. Foi inspirado nesse termo que Thomas Hanna criou o termo educação somática para referir técnicas que se baseiam em estados de atenção plena.

A partir desses estudos Ciane Fernandes, baiana porreta, nos presenteou com seus estudos em Pesquisa Somático-performativa, a qual inclui processos de valorização da intuição, da inter-multi-transdisciplinaridade, de arte como eixo em um método de “(des) (re) organização da pesquisa”, em que a pesquisa é “compartilhar de pulsões (público, espaço, intervenção e escrita como dinâmicos)”. Essa metodologia foi o fio condutor do meu processo.

A partir desse tripé, Pancha experimenta chakras, asanas, mudras, bija mantras, parâmetros de movimento, estímulo aos sentidos e sistemas fisiológicos relacionados a cada mahabhuta (elemental).

Foram cinco performances realizadas em 2018, no entorno do Mercado Público, a patir da aplicação de um mapa arquitetônico indiano, o Vastu Shastra. Aqui você vê um pouquinho do resultado de cada uma dessas expriências.